logo paraiba total
logo paraiba total
Foto: Silvio Meira: divulgação/Sebrae-PB

Economia Criativa: inovação como chave para revolucionar o mercado de eventos

Regina Amorim explora como a inovação e criatividade são fundamentais para revolucionar o mercado de eventos

17 de junho de 2024

Os eventos precisam ser tratados de forma criativa, diferente e inovadora. As empresas de eventos trabalham com uma diversidade de segmentos, sejam eles: eventos culturais, sociais, corporativos, ambientais, desportivos ou científicos, atendendo vários públicos, de níveis socioeconômicos diferentes, que buscam por uma experiência diferenciadas, proporcionando bem-estar e excelente nível de satisfação, para as pessoas.

O mercado está favorável para as empresas organizadoras de eventos e toda a sua cadeia produtiva, se estiverem preparadas para oferecer serviços que ainda não estão no imaginário das pessoas, por terem diferencial e inovação.

Os clientes não estão mais dispostos a comprar a mesmice dos eventos ou ser tratados de forma massificada, mas sim buscar uma experiência única e marcante. Empresas bem-sucedidas são aquelas que estão conectadas aos cenários econômico, social, ambiental e cultural, do século 21.

É fundamental planejar o “não óbvio” para os eventos e isso depende da formação de uma equipe multidisciplinar, com talentos criativos, arquitetos, designers, produtores culturais, com ideias de vanguarda, de inovação e de sustentabilidade, para a atual realidade do mercado consumidor.

Criar eventos que gerem experiências inusitadas ou não óbvias, pode fazer de você a referência de criatividade no mercado de eventos, por agregar valor à temática e ao conceito dos eventos, através da cultura de contínua inovação. A inovação é sinônimo de novas ideias, pensamentos criativos e novas soluções que atendam às necessidades não satisfeitas do mercado.

Um exemplo de inovação bem-sucedida na área de eventos corporativos foi o NEON, realizado pelo SEBRAE – PB, dias 6 e 7 de junho, na capital paraibana João Pessoa, cidade criativa da UNESCO. Importante ressaltar como uma mudança de percepção com relação ao mercado de eventos, traz resultados positivos para os expositores e visitantes e possibilita relacionamento estruturado com os participantes e parceiros envolvidos. A valorização das iniciativas de marketing de experiências se insere no conceito dos eventos criativos e não óbvios, que otimiza engajamento e imagem positiva, para atrair e fidelizar clientes.

Uma inovação assertiva é aquela que começa com um problema definido pela demanda do cliente e traz soluções para melhor adequação. Para reflexão, destaco o exemplo negativo das Festas de Formatura, que as empresas de eventos oferecem aos formandos, familiares e amigos. São eventos padronizados, sem criatividade, sem sustentabilidade, que não geram bem-estar e nem a experiência de interação e reencontros, entre as pessoas. Ninguém pode conversar com o alto volume do som e a pouca iluminação do ambiente, perde o encantamento e o clima de alegria, que poderia favorecer a todas as idades.

Realizar eventos exige empatia e conhecimento do público-alvo. Uma pesquisa entre os formandos, antes do planejamento da festa, para identificar os diferentes públicos de possíveis convidados, a faixa etária e a quantidade de convidados, seria o primeiro passo para auxiliar na escolha do local do evento, elaborar o desenho e o layout criativo, com a iluminação e o volume som adequados, o estilo das músicas, dentre outras ações previstas, faz parte da correta gestão do portfólio de eventos, que permita o gerenciamento de qualidade e o bem-estar das pessoas.

Nesse quesito considero os organizadores de eventos sociais, com pouca criatividade e pouca sensibilidade para atender a demanda dos formandos, familiares e amigos. Esse é o exemplo de como não fazer festas de formatura.

Qualquer segmento de eventos, pode estar inserido nos negócios da economia criativa quando enxerga as oportunidades de parcerias com artesãos, coreógrafos, produtores de teatro, de arte popular, de artes midiáticas, de gastronomia, cinema, arquitetura, música, dança e outros. A criatividade e a cultura causam impactos positivos, quando inseridas aos eventos.

Por essa razão, os profissionais de eventos precisam buscar a capacitação, através de um curso inovador sobre eventos criativos e colaborativos, que seja relevante para fazer a diferença e melhorar o seu posicionamento no mercado. Se você não fizer, seu concorrente vai fazer!

Regina Amorim

Foto: Linkedin

Sobre Regina Amorim

É gestora de Turismo e Economia Criativa do Sebrae/PB. Formada em Economia pela UFPB, 1980, com Especialização em Gestão e Marketing do Turismo pela UNB – Universidade de Brasília e com Mestrado em Visão Territorial para o Desenvolvimento Sustentável, pela Universidade de Valência – Espanha e Universidade Corporativa SEBRAE.

Fonte: Regina Amorim